top of page
  • Escritório de Assuntos Externos da Comunidade Bahá'í do Brasil

Com apoio de instituições locais, Conferências Globais reúnem crianças e fomentam as artes

As Conferências Globais do Plano de Nove Anos seguem ocorrendo no Brasil. Em encontros que aconteceram em localidades no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás e Alagoas, pessoas envolvidas com os processos de transformação de comunidades oferecidos pela Fé Bahá’í se reuniram em clima de alegria e companheirismo.

Em Cristalina, região leste de Goiás, as atividades bahá’ís acontecem há 5 anos no bairro Santa Clara. Um objetivo claro da mobilização comunitária neste local tem sido ampliar a compreensão do importante papel que cada um tem sobre seu próprio desenvolvimento espiritual e material, e também sobre o progresso dos que estão à sua volta.

Refletindo essa consciência de interdependência, a Conferência foi organizada com a colaboração de diferentes pessoas. A Prefeitura de Cristalina cedeu o espaço público da Praça Omar Ribeiro de Faria, instalou tendas e emprestou mesas, cadeiras e aparelhagem de som; um comerciante local ofereceu o sinal de internet, outro um pula-pula para o entretenimento das crianças; e lanches e almoço dos participantes foram preparados pela própria comunidade.

Em outra Conferência, na aldeia Kariri Xocó, no Estado de Alagoas, o apoio veio da escola, que gentilmente ofereceu vários espaços para as consultas, atividades e apresentações de 100 crianças e jovens participantes. A direção também contribuiu emprestando caixas de lápis de cor, giz de cera e cartolinas para serem usadas no evento. “A escola vem sendo uma rede de apoio muito importante. Graças a ajuda dela nosso contato com as crianças, pré-jovens e até mesmo com a mães deles veio crescendo", comentou uma das organizadoras, Nayri Cruz. "Ter a escola nos apoiando é um passo muito importante, porque além da confiança que temos com o pajé, temos agora a confiança da escola e de todos os envolvidos nela”.

As artes são parte essencial dessas Conferências. Seja para comemorar os resultados já alcançados, celebrar a cultura local ou explorar conceitos e ideias que surgem a partir do material, a música, a dança e o artesanato se fazem presentes. Uma dupla de violeiros dentre os participantes alegrou a Conferência em Goiás com genuína música caipira. Na aldeia Kariri Xocó, torés, cafurnas e também manifestações da cultura popular como a quadrilha compuseram a festa.

Em Mogi Mirim, no Estado de São Paulo, em um encontro que reuniu também participantes de cidades vizinhas, os jovens conduziram uma oficina de confecção de pipas com as crianças. A atividade foi uma forma de valorizar essa brincadeira, que é popular na região, simbolizando a passagem de conhecimento e o cuidado entre as gerações, conceitos que estão incorporados no processo educacional da comunidade bahá’í.

A continuidade e avanço das atividades educacionais nos bairros foi o foco das conversas na programação dos adultos nesta Conferência. “Foi muito alegre e leve. Nos grupos as consultas foram bem objetivas, traçando planos para seguir com o avanço do processo educacional. No nosso grupo, participaram algumas mães do bairro e suas contribuições foram muito interessantes. Algumas vieram com crianças de colo e mesmo assim não deixaram de participar. Tivemos testemunhos de como o envolvimento nas atividades impactou a vida das pessoas e também o desenvolvimento da comunidade”, disse uma das participantes que facilitou o estudo do material.


404 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page