top of page
  • Escritório de Assuntos Externos da Comunidade Bahá'í do Brasil

Reuniões no Centro Oeste e Nordeste destacam o papel da juventude e da disseminação da aprendizagem

Entre os dias 27 e 29 de maio, mais duas regiões do país realizaram reuniões preparando a comunidade bahá'í para o empreendimento dos próximos 9 anos. Um dos encontros ocorreu em Brasília e reuniu 88 pessoas provenientes do Distrito Federal, de Goiás, do Tocantins e do Triângulo Mineiro. O outro ocorreu em Salvador com a presença de 80 participantes dos estados da Bahia, de Sergipe e Alagoas. As reuniões foram marcadas por um elevado senso de propósito e uma expectativa pelas conferências que devem ocorrer em diversas localidades.



No encontro de Salvador, houve uma participação expressiva de jovens, que compartilharam suas experiências e aspirações para o futuro. Segundo Thays Santos, do povo Kiriri e participante da reunião, é preciso ter uma atitude de inclusão e acolhimento. "Não é só porque a pessoa comete erros que a gente vai deixar de acreditar nela. A gente deve acreditar na capacidade de cada um", compartilhou a jovem. Para Thays, muitas vezes os jovens são especialmente desacreditados. "As pessoas dizem - os jovens não querem nada - mas é porque não dão oportunidade para os jovens mostrarem seus talentos", afirmou.


Ao final da conferência, um grupo de jovens de Alagoas que participou do encontro identificou que um passo importante para transformar a realidade da sua vizinhança é ampliar a participação das suas próprias famílias.



Na reunião de Brasília, um dos principais pontos de reflexão foi a disseminação da aprendizagem. Na região já existem áreas em que está ocorrendo um processo consistente de construção da vida comunitária. Nesses lugares, crianças, jovens e adultos estão desenvolvendo suas capacidades e dedicando suas energias para servir a comunidade ao seu redor, criando ambientes marcados por unidade e harmonia. O desafio que se apresenta é como apoiar outras localidades com recursos, experiências e aprendizados de forma que também possam trilhar esse mesmo caminho, criando um movimento em toda região.


Um ponto em comum entre as duas reuniões foram os preparativos para as conferências globais convocadas pela Casa Universal de Justiça. Conforme esse órgão dirigente da comunidade mundial bahá’í indica em uma mensagem recente, tais encontros devem reunir "não somente os bahá’ís, mas muitos outros que desejam o bem da humanidade e que com eles compartilham um anseio por fomentar a unidade e melhorar o mundo".


No Brasil, as conferências já foram iniciadas no mês de março e devem se estender até agosto de 2022. Nesses espaços, as comunidades devem refletir sobre o caminho que já percorreram e renovar seu compromisso com o serviço à humanidade, redobrando as energias para a construção de uma sociedade que reflita a concórdia e a harmonia para as gerações vindouras.



A realização de conferências marca a história da comunidade bahá'í. Mesmo nos seus primeiros anos de existência, uma conferência foi organizada no vilarejo de Badasht. Naquele momento os atendentes do encontro também deliberaram sobre o futuro da comunidade e sobre os elevados padrões que devem caracterizar a vida de toda pessoa que se dedica ao bem comum.


Espera-se que cerca de 4000 pessoas participem dessas conferências na região do Centro Oeste e 2200 na região Nordeste.


145 visualizações0 comentário
bottom of page